fbpx

Fluxo de Caixa: Saiba as regras básicas para evitar ficar no vermelho

Propaganda
81 / 100

Ser empreendedor não é fácil, você precisa saber fazer de tudo e nunca tem tempo para descansar. Contudo as dividas estão aí e você precisa trabalhar corretamente para que sua empresa tenha sucesso. Portanto aprender a fazer um bom fluxo de caixa pode ser uma ótima opção.

O fluxo de caixa irá te ajudar a ter uma visão mais aprofundada sobre as despesas e lucro de sua empresa. Além disso ele irá te organizar e assim tornar o seu trabalho um pouco mais fácil e prático de se lidar.

Embora seja para o seu trabalho ela necessita abranger vários aspectos de sua vida, até porque então, você é o responsável. Hoje em dia, é muito comum empresas que declaram falência em 2 a 3 anos. Isso ocorre normalmente por um péssimo planejamento estratégico, contudo em alguns casos também pode ser por um péssimo fluxo de caixa.

O que é Fluxo de Caixa?

O fluxo de caixa nada mais que a fiscalização de todo dinheiro que entra e sai da sua empresa. Em outras palavras, é o seu lucro e despesas com a empresa. Portanto ele deve ser sempre anotado ou lançado para que você tenha os valores salvos.

Desta maneira você poderá planejar muito melhor sobre os valores necessários para manter sua empresa funcionando, como: Investimentos, manutenções, limpezas, pagamento de funcionários, água, luz e etc. E também poderá visar o lucro que você poderá usufruir do seu trabalho tão suado.

Como fazer um fluxo de caixa?

Bom existem duas opções que você poderá optar para fazer o seu, sendo:

1 – Faça você mesmo

Embora seja mais trabalhoso e demorado esta prática pode ser preferida para aqueles que gostam de tudo de sua forma pessoal. Assim você poderá fazer o controle da maneira que desejar e até mesmo manualmente.

Você poderá utilizar o Excel ou até mesmo um caderno ou agenda. Contudo lembre-se que ele deve ficar claro, limpo e fácil de entender, pois será utilizado continuamente e até mesmo por outras pessoas dentro da sua empresa.

Neste caso você irá basicamente marcar todos os gastos que são necessários para a manutenção de toda a sua empresa. Avalie qualquer gasto que possa ocorrer diariamente, semanalmente, mensalmente e anualmente. Além disso lembre-se dos investimentos, funcionários e afins.

2 – Contrate um serviço

Hoje, com o avanço da tecnologia, existem diversos aplicativos que são bem simples de utilizar. Assim você pagará mensalmente ou anualmente e o mesmo seria disponibilizado a sua empresa.

Eles são confiáveis e totalmente particulares, desta forma você não corre risco algum.

Embora o fluxo de caixa deve ser feito logo no início de sua empresa, algumas pessoas acabam sabendo disso depois. Desta maneira iremos listar alguns problemas recorrentes para que você possa assim evitar ou dar a volta por cima.

Propaganda

4 Erros comuns em fluxos de caixas

Muitas pessoas mesmo com o fluxo de caixa acabam tendo problemas financeiros em sua empresa. Isso ocorre por falhas no sistema que normalmente ocorrer por:

1. Não saber a despesa que trouxe o sufoco financeiro

Você precisa saber sobre todas as despesas da sua empresa, mas não só isso. É importante que você também saiba o peso de cada uma em sua renda, a fim de saber quando reparar, desistir ou modificar o problema.

Desta forma, ao pesar o valor de cada divida, olhando sua necessidade e benefício fica mais fácil alinhar uma estratégia para a solução de seu problema. Contudo se os seus problemas parecem mais um aglomerado, onde são pequenas dividas que se tornam um peso enorme, vá a próxima dica.

2. Não eliminar custos ou atrasos desnecessário

Ainda pensando em pesar seus problemas e dividas, você também ganhará outra habilidade, a de saber qual gasto é necessário e quais são menos necessários. Desta maneira fica muito mais fácil saber o que cortar ou diminuir, a fim de economizar.

No final do mês você terá um resultado gratificante, pois a suas despesas serão menores e você poderá resolver seus problemas com o dinheiro que sobrar. Contudo tenha atenção! Alguns gastos estão mais para investimentos, por mais que sejam para conforto, portanto saiba exatamente pontuar sobre ser mais necessário e menos necessário.

Além disso é importante analisar o que funciona e não funciona na sua empresa. As vezes investimos em coisas que não trazem o retorno necessário, as vezes ficam até por meses sem utilização. Assim elimine qualquer coisa que apenas acumule espaço, coisas velhas que não funcionam mais e atrasam o trabalho e etc.

3. Não trabalhar com calendário

Não importa você saber tudo o que entra e sai da sua empresa, se você não sabe as datas de entrega e recebimento de suas mercadorias e despesas. Portanto sempre anote em um calendário ou agenda as datas que você precise comprar, entregar receber ou qualquer coisa importante sobre a sua empresa.

Desta forma você evita pagar coisas com juros, desistências em compras por atraso, reclamações e até mesmo perda de produtos. Além disso você pode otimizar o seu tempo conciliando atividades próximas ou relacionadas.

4. Deixando dividas acumularem

Muitas vezes por vergonha ou achar que irá conseguir pagar acabamos por criar uma divida maior ainda. Portanto é importante lembrar que qualquer divida corre juros, dependendo do que for até mesmo multa.

Desta maneira você deverá ficar atento a todos os riscos que você poderá passar se não solucionar seus problemas financeiros. Portanto se necessário renegocie suas dividas e faça o máximo possível para poder quita-las. Ligue na empresa ou local na qual você está devendo e explique sua situação.

Na maioria das vezes empresas desejam serem pagas e então acabam sendo bastante flexíveis com os pagamentos. Contudo, se mesmo assim você encontrar dificuldades, pode ser uma opção pedir ajudas externas.

Você poderá pedir a ajuda de um familiar, amigo ou até mesmo instituição financeira. Fique ciente se houver um acordo e faça tudo corretamente. Lembre-se de ser sincero o máximo possível, para que assim fique mais fácil chegar em um consenso e você cumprir com sua palavra.

Propaganda